quinta-feira, 8 de novembro de 2012



Entre Cores e Flores, na Rede Cultural Beija flor - Núcleo Sítio Joaninha.
fotos: Roger Cipó

quarta-feira, 29 de agosto de 2012



Corpo e Dança (Experimentações)


"Dançar é se superar." Nietzsche

A dança envolve a perda de si mesmo e abre para outras possibilidades, desviando o olhar de nós mesmos.

"Eu", produto moral, a dança é o contrário disso. Afastando-nos da prisão do "eu" e abre a experiência real de si.
Devemos dançar com os pés, idéias e palavras.
Se dançar é uma ação política, se dançar é vida, vida é incomodo, movimento, provocação, tempo. Vida é tempo.
Sendo a dança - vida e vida também é corpo, nosso corpo nada tem a ver com o ideal, o corpo é o inesperado. O Corpo é vivo, tudo que é vivo é contraditório. O corpo é caos. O corpo é falha. O Corpo é risco.

* música retirada do youtube e usada só para experimentações de dança.
video

sábado, 18 de agosto de 2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Cia. no TUCARENA

 
















quarta-feira, 13 de junho de 2012

Da Pisada à Toada no TUCARENA

Cia. As Margaridas estará na SEMANA DE ARTES DO CORPO NA PUC.
Para melhor visualização clique no flyer



quinta-feira, 12 de abril de 2012

Reportagem

Segue reportagem que saiu no site da prefeitura de Diadema sobre a Cia. e o Espetáculo "Entre Cores e Flores".

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Ainda em estudos sobre dança

Dança que antecede movimento, movimento que antecede dança?


E neste inconsciente cognitivo ela esta, armazenado em todo o lugar do CORPO - cérebro, pernas, braços, mãos, pés, dedos, pálpebras e etc. O corpo também pensa, o corpo também é pensamento. Podemos dizer então que, a dança é um movimento plástico gerado por um pensamento-corpo no instante em que ela acontece? num fluxo-impulso?

Se a consciência é um processo - quando o movimento dado pelo corpo se transforma em dança, podemos dizer que o mesmo fora produzido conscientemente? transformando-se assim, num movimento plástico?

Se o corpo tem memória, ele também traz consigo as memórias ancestrais?

Existe uma dança particular em cada um, desprendida de técnicas em que o corpo desprende-se do estabelecido, fluindo seus desejos, tornando-os em movimentos. É natural, é inato. Estaria ligado a verdade de cada um.
Dança; expressão do interior, ligação com o sagrado, conhecimento de mundo, trânsito entre o biológico e o cultural.
Corpo-movimento. Corpo-dimensão-cognitiva.
Corpo-fluxo...corpopensamento.

(ainda em estudos sobre dança - livro: UM, DOIS, TRÊS. a dança é o pensamento do corpo. Helena Katz)

Texto - Sol Bentto

quarta-feira, 28 de março de 2012

Entre Cores e Flores











O que é uma obra de arte?
obra de arte (trabalho artístico ou somente obra) é uma obra criada ou avaliada por sua função artística ao invés de prática. Por função artística se entende a representação dum símbolo, do belo. Apesar de não ter como principal objetivo, uma obra de arte pode ter utilidade prática.
Aqui esta, uma resposta simplória ao que seria uma obra artística.

No entanto, analiso a obra de arte, se é que ela tem de ser analisada, como um encontro, ou a possibilidade dele.
Que encontro seria este?
Não sei, acredito que, cada indivíduo sente o encontro de uma maneira, isso mesmo, sentir porque para a mim, a obra esta no campo do sensorial. Digo isto, até mesmo pelo paladar, acredito que a obra tenha gosto. Ela perpassa pelo corpo físico, espiritual e sensorial.

A experiência com nossos dois espetáculos 'Da Pisada à Toada e Entre Cores e Flores' tem sido muito bem sentida. Nós da Cia. e nossos parceiros, sentimos o espectador.co.autor se deliciarem com a obra, feito chocolate derretido na boca, e nós também o sentimos, ora amargo, ora bem doce, mas o sentimos.

Deixo aqui, nossos sinceros agradecimentos ao Centro Cultural Eldorado, à Biblioteca Olíria de Campos e ao Centro Cultural Nogueira, aos nossos pequeninos.espectadores, a Vanessa Silva e ao Onga.

Segue abaixo, um pensamento valioso de Flávia Tavares (atriz e pesquisadora) do Coletivo Ambulante (coletivoambulante.blogspot.com), em relação a obra de arte, porque a obra é um encontro com as palavras.

Obra-movimento

a obra de arte é um movimento em direção a alguma coisa

a obra não é uma materialidade
nem um produto
nem um espetáculo
nem um objeto
nem uma coisa apreensível

mas é um movimento em direção a
a uma experiência
a um outro lugar-tempo

a obra é um gesto


tal gesto não se compra
não se vende
não se contempla
não se interpreta

tal gesto se experimenta ou não
se vive ou não
sou atravessado por ele ou não

eu continuo esse gesto ou não
eu me torno parte desse movimento ou não

assim, ou o espectador se torna continuum da obra ou não existe espectador
ou a obra continua no espectador ou não existe obra

obra
movimento em direção ao outro?
movimento em direção a algo que convoca o outro?

obra-vínculo
obra-gesto

movimento-gesto-obra:
duração
intensidade
campo, extensão, alcance

obra de arte, percurso?


(flávia tavares)

fotos - Vanessa Silva

quarta-feira, 14 de março de 2012

Da Pisada à Toada


"Oh, Meu Senhor
Dono de casa
Chego aqui nesta morada
Peço a vossa licença
Pra cantar com os camaradas"

















Os nossos singelos agradecimentos ao Centro Cultural Heleny Guariba e Centro Cultural Serraria, ao Bob Mendez, Julio Nascimento, Caroline Santis, Cleuber Gonçalves, Béatrice Paes, Rosa Silva, e a todos nossos amigos.espectadores.co.autores desta grande brincadeira. Viva!! Viva!! Viva!!

fotos: Béatrice Paes


segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Em Março...Estréia.... Da Pisada à Toada e Entre Cores e Flores



Para melhor visualização clique no flyer

sábado, 14 de janeiro de 2012

Porque dançar?

Como a dança se manifesta?
Que dança é essa?
Ancestralidade é tempo?

dança=ancestralidade/ritual/agradecimento

corpo errante= falha/lentidão/fluxo

composição=possibilidades

dança?
desenho?

Como se desenha no espaço?

errância=desorientação/lentidão/corporiedade

reterritorialização=ressignificação
espaço-movimento

TRAVESSIA

Quando Milton Santos fala de corpo errante=corporiedade, relaciona este corpo a orientação, desorientação e reorientação, idéias que podem ser vistas através de noções de territorialização, desterritorialização e reterritorialização.

M. Santos abre a discussão, por uma perspectiva do espaço físico, enquanto nós trazemos mais para a questão identitária - quem somos? de onde viemos?

A dança, dentro da temática da ancestralidade, pode ser vista destes três pontos, a ponto de territorializar quem somos?

A partir destas questões, a Cia. começou uma investigação sobre ancestralidade, dentro de uma temática que vamos chamar de 'cartografia ancestral' - memórias inscritas no corpo. Inicia-se então o processo que culminará no espetáculo "Da Pisada à Toada".